Eventos
22 Abril 2007
2º Encontro Grande Hotel de Luso/LusoClássicos 2007

Encontro de Automóveis Clássicos e Antigos
Vila de Luso . Portugal
05 e 06 de Maio

Para já aguçamos um pouco da curiosidade, e colocamos algumas imagens do evento. Algumas imagens são nossas, outras enviadas pelo nosso simpático e divertido participante João Almeida.

A lista dos "grandes" participantes:

Adelino Pereira acompanhado de Margarida Pereira
Veículo – Austin Ascort 1.2 de 1936

Luis Filipe da Rocha Pereira acompanhado de Maria Teresa Dias Pereira, José Maria Pacheco de Abreu Pereira, António Luis Pereira e Olga da Rocha Abreu Pereira 
Veículo – Ford Coupé de 1948

Manuel Jorge Pacheco Vieira acompanhado de Maria Eduarda Melo
Veiculo – Ciroën 11 B de 1954

Fernando Ferreira Ribeiro acompanhado de Maria Angelita Guizado Amaral Ribeiro
Veículo – Volkswagen Carcha 1.2 oval de 1956

Afonso José Tito Lopes acompanhado de Dina Celeste Almeida, Ricardo Nuno Moreira Dos Santos Madureira e Susana Gomes de Almeida
Veículo – Citroën ID-19 P – Confort de 1963

Fernando Valente acompanhado de Conceição Valente e Daniel Almeida
Veículo – Peugeot 404 Cabriolet de 1963

Fernando Jorge Almeida acompanhado de Manuela Almeida
Veículo – Jaguar 3.8 S de 1965

João Emílio Almeida acompanhado de Glória Almeida e Gonçalo Almeida
Veículo – Jaguar 420 de 1968

Luis Sousa Ribeiro
Veículo – Mercedes 350 SL de 1971

José Carlos Cunha acompanhado de Maria Fernanda Cunha e João Carlos Cunha
Veículo – Porsche Carrera 2.7 RS de 1972

Raquel Carvalho acompanhada de Rita Mira
Veículo – BMW 2002 de 1973

Carlos Alberto Gonçalves acompanhado de Manuela Gonçalves
Veículo – Porsche 924 Turbo de 1978 

Joaquim dos Santos Loureiro acompanhado de Isabel Loureiro
Veiculo – Citroën GSA de 1981

Samuel Gomes acompanhado de Joana Santos
Veículo – BMW 323 i E30 de 1984

António Cândido Moreira Paiva acompanhado de Maria Alice Pereira da Cruz
Veículo – BMW Z1 de 1990

Classificações das respectivas "brincadeiras" a que foram sujeitos:

Regularidade 

1º - BMW 2002 de 1973, de Raquel Carvalho e Rita Mira
2º - Volkswagen Carocha Oval de 1956 de Fernando Ribeiro e Maria Angelita Ribeiro
3º - BMW 323i E30 de 1984 de Samuel Gomes e Joana Santos

 

Concurso de Elegância

1º - Citroen 11 B de 1954 de Manuel Vieira e Maria Eduarda Melo
2º - Peugeot 404 Cabriolet de 1963, de Fernando Valente e Conceição Valente
3º - Porsche 924 Turbo de Carlos Gonçalves e Manuela Gonçalves

 

Prova de Perícia

1º - Porsche Carrera 2.7 RS de 1972 de José Carlos Cunha e Maria Fernanda Cunha
2º - Porsche 924 Turbo de Carlos Gonçalves e Manuela Gonçalves
3º - Mercedes 350 SL de 1971 de Luís Sousa Ribeiro

Carregado de diferença e radicalmente assumido como inovador, o Clube LusoClássicos contemplou para este encontro um programa que marca pelo dinamismo e reforça o orgulho de todos os participantes, que se assumem como protagonistas exemplares deste enredo.

Com uma lista de inscritos que ultrapassou as duas dezenas, e com uma lista de desistências que alcançou o limite de dez, este encontro não poderia ter sido mais único, dinâmico e acolhedor, tendo como veículos mais antigos, um fabuloso Austin Ascot de 1936, um mediático Ford Coupé de 1948 e um exemplar Citroen 11B de 1954.

Teve início, com uma fantástica recepção de todos os participantes, que vieram de vários pontos do país, na fabulosa Serra do Buçaco, junto ao Convento de Santa Cruz (Palace Hotel), deliciando as subtilezas de todos pelo seu fantástico conjunto arquitectónico, botânico e paisagístico.

Depois de terem a oportunidade de conhecer “in-loco” o maravilhoso Convento e com uma vontade estonteante de aquecer os motores, todos os participantes seguiram em direcção a Anadia para uma visita memorável ás profundezas da escuridão. Com cinco pisos subterrâneos, as Caves Monte Crasto, trazem consigo já 100 anos de tradição com o nascer do espumante e são as mais antigas do país. Momentos únicos de prazer, que por esta altura do dia já faziam brotar dos participantes, comentários de satisfação e autenticidade. Enfim….momentos únicos de alegria. Após a visita, e já com alguns Kilómetros percorridos, o mote para o almoço foi dado pela pontualidade definida em programa. Seguiu-se mais um momento único onde o leitão se apoderou dos participantes. 

Eram precisamente quinze horas e vinte minutos, e é dada a partida. “Senhores pilotos, a prova começou!”. Foi dado então início à prova de regularidade por que todos esperavam. Todos os veículo alinhados e a saída era dada de minuto em minuto. Com um percurso com cerca de 39 km, esta prova retrata a mística existente entre a “competição” e o momento lúdico que os acompanha. Durante todo o percurso, os participantes tiveram a oportunidade de colocar à prova, não só a sua própria cultura, como também questões de índole desportivo. A primeira secção da prova ficou completa com uma magnifica recepção no Golfe da Cúria, onde aí, se pôs à prova alguns dotes ou desastres que motivaram o puro divertimento pretendido. Com mais regularidade e alguma estrada “sugada”, onde uns demonstravam o rigor absoluto e outros o puro prazer de passear, todos tinham um só objectivo – alcançar a Av. Emídio Navarro no Luso porque a perícia de 1960 ía começar. Terminada então a regularidade, todos os participantes reviveram os famosos anos 60 com uma reedição da prova de “Perícia e Travagem” de 1960, organizada na altura pelo Clube 100 à Hora. Foi um momento fantástico, carregado de aventura, vivência e acima de tudo divertimento. Foi uma prova decididamente diferente, onde os participantes mostraram as suas “garras” de pilotos e puseram à prova uma reedição tão desejada por muitos, e que mostrou o primeiro momento alto deste encontro. Daí até ao anoitecer, o tempo voou. Foi mais uma vez facultada a todos, uma fabulosa aula de HidroGinástica, nas piscinas aquecidas do Grande Hotel de Luso, soltando assim a tensão que os perseguia e marcando um momento de diversão onde nem a professora escapou às malandrices de alguns.

O dia estava completo e os preparativos para o momento único avançavam a grande velocidade. Eram vinte horas e quarenta e cinco minutos e tinha sido dado o mote para o início do desfile nocturno e concurso de elegância. A população esperava pelos concorrentes e o júri aquecia os olhares indiscretos. O desfile de todos os veículos percorreu as ruas mais mediáticas da Vila de Luso e culminou de forma requintada na Av. Navarro, onde aí se juntava a multidão, o júri e a famosa passadeira vermelha para o Momento Único. Foi realmente um espaço, um momento por que todos esperavam e que, pelo menos uma vez, deviam conhecer e dar a conhecer o que de melhor têm para mostrar. Momentos destes, fazem a diferença no mundo do glamour e da perfeição. A noite tinha iniciado e o Jantar de Gala estava quase a ser servido. Na já maravilhosa Vila Duparchy, todos foram recebidos com aquilo a que fomos habituados, requinte e surpresa. O jantar foi extraordinário assim como o Baile de Gala levou ao cume o rigor, a beleza, a naturalidade e acima de tudo e mais uma vez, a diferença que encerrou este maravilhoso dia com atitude e profissionalismo.

O programa do evento prosseguiu no Domingo, e de uma forma mais suave. A partida foi dada sensivelmente por volta das dez e trinta da manhã, após uma merecida estadia no Grande Hotel de Luso, em direcção á povoação de Mogofores, para uma pequena viagem ao mundo Salesiano, fazendo-se assim uma visita ao Colégio Salesiano de Mogofores e sua Basílica. Com todos os veículos estacionados no interior do colégio e com uma visita que aparentemente parecia normal, o LusoClássicos surpreendeu tudo e todos com a presença do Prémio Nobel da Paz, Dom Ximenes Belo, que gentil e calorosamente benzeu todos os veículos. Mais um espaço carregado de simbolismo…. Com as emoções ao rubro o percurso continuou em direcção à Estancia Termal da Curia, mais propriamente para o Hotel das Termas da Curia, onde aí, todos puderam partilhar emoções junto da envolvente intima e magnifica, que confere a este espaço uma individualidade exemplar e que abre o apetite calorosamente. O almoço foi servido à hora prevista e os resultados de prova afixados, para os mais curiosos.

A animação em redor de todo o evento, que compreendeu dois dias de pura adrenalina, mesclada de paz de espírito, foi, sem margem para erro, um dos “pratos” privilegiados da “ementa” da segunda edição do Lusoclássicos, cujas entradas resumem-se às virtudes territoriais naturais e artificiais, insinuando dinamismo, organização e inovação. Foi aqui mais uma vez demonstrado que o pormenor quando utilizado, faz a correspondência com o sucesso, garantindo um homogeneidade entre todos os participantes. Saber fazer de forma simples e eficaz, não é fácil, é necessário para isso a vontade extrema de ultrapassar ao que hoje se chama de “sistema”.

Parabéns a esta organização que muito tem demonstrado com as suas atitudes. “Há momentos na vida que não se podem perder, são únicos”

Para todos, aos repetentes, e aos que participaram pela primeira vez num evento organizado pelo Clube LusoClássicos, o nosso sincero agradecimento por terem vindo.


galeria de imagens
 

#

#

#

#

#

#

#

#

#

#

#

#

#

#

 
01 02 03 04 05 »»

 

Todos os direitos reservados ao Clube LusoClássicos | produção internet: Ventre